Brasil vs EUA: Principais tendências em gestão de frotas

Principais tendências em gestão de frotas
Compartilhe esse conteúdo:

O mercado norte-americano possui mais de 140 milhões de carros comerciais e cerca de 40% deles são rastreados e monitorados, enquanto o Brasil possui cerca de 7 milhões de veículos empresariais sendo que apenas 4% possuem rastreamento. De acordo com Guilherme Luz (34), diretor de vendas da CalAmp – provedora global de hardwares e tecnologia – os Estados Unidos são referência mundial no gerenciamento de frotas “até porque é um país em que a venda de automóveis é 10 vezes maior que a do Brasil, já contando com uma tecnologia embarcada muito mais avançada”.

As práticas logísticas, em especial, às práticas de gestão de frotas variam de país para país de acordo com as especificidades locais. Um país com alto índice de furto a veículos certamente terá maiores preocupações com segurança e controle de risco, por exemplo. Apesar das diferenças estruturais, existem cinco métodos de gestão de frotas comumente realizados entre os continentes:

 

A Evolução da Gestão de Frotas Nas Empresas:

  1.  Sem Controle – os gastos não são acompanhados e os condutores têm total autonomia com os veículos.
  2. Controle Manual – pouco controle de custos e da operação. Diversas ligações para os motoristas ao longo do dia.
    o que é roteirização?

    Roteirização Manual: Imagem enviada por parceiro da Cobli

  3. Controle via Planilhas para controlar gastos de combustível; próximas manutenções; visitas feitas no dia e etc.
  4. Softwares de input de dados lançamento manual de cada informação da frota no sistema para fazer o acompanhamento.
  5. Sistema de gestão de frotas – sistema em tempo real de acompanhamento operacional e financeiro da frota que entrega informações relevantes para as tomadas de decisão dos gestores.

O método de gestão de frotas mais sofisticado na atualidade é feito a partir de um sistema de gerenciamento de frota via hardware e software. De maneira resumida, dispositivos são colocados em cada veículo retirando informações em tempo real da operação e enviando para um dashboard acessado pelo gestores.

Gestão de frotas: análise de cenários

Principais tendências em gestão de frotas

Marcos Urenha ( engenheiro de suporte – CalAmp); Guilherme Luz (diretor comercial – CalAmp) e Parker Treacy (CEO – Cobli)

O Guilherme Luz e o Marcos Urenha são representantes da CalAmp, empresa de tecnologia e fabricante de hardwares de rastreamento em escala global. A empresa, presente em todos os continentes e com mais de 10 escritórios espalhados pelo globo, possui mais de 60% do MarketShare americano do setor de hardwares. Conversamos com os especialistas sobre as diferenças entre as práticas norte-americanas de gestão de frotas frente às práticas brasileiras e sobre o que enxergam como tendência para os próximos anos.

O Mercado Norte – Americano

“É um mercado muito maior e mais avançado tecnologicamente. Existe uma preocupação muito grande com a qualidade da informação. Não estão preocupados com a localização do carro em sí. O gestor quer saber coisas como: quem é o condutor mais produtivo; mais cuidadoso com os veículos e mais preocupado com os custos da empresa, por exemplo. A área de gestão de frotas é enxergada pelas empresas como uma área estratégica em que todos os detalhes são importantes. Lá, eles tem acesso às informações diretamente do veículo quanto a consumo, manutenção, e etc. Esses dados são importantes, mas o gestor pensa além disso. Só pra ter uma ideia, uma das empresas que atendemos conseguiu reduzir 10 milhões de dólares por ano apenas reduzindo a ociosidade do motor e implantando políticas de gestão de frotas. O projeto evoluiu, trouxe ganhos exponenciais e obviamente pagou o uso do hardware e do sistema”, comenta Guilherme.

O Mercado Brasileiro

“Não é um mercado embrionário porque já existem empresas preocupadas com gestão de frotas, mas nossa leitura é de um mercado recém nascido. O Brasil ainda é muito focado em rastreamento ao invés de gestão. As tecnologias e soluções costumam ser enxergadas como custo ao invés de investimento, por isso vemos que a maior parte do mercado utiliza dispositivos menos avançados, menos efetivos e mais baratos.  Uma questão que certamente atrapalha o cenário como um todo é que a área de gestão de frotas ainda é muito vista como uma área tático-operacional, se não apenas como área operacional. As empresas pouco investem em profissionalização de pessoas e da área como um todo, aumentando o desafio. Outro ponto que temos pouco controle por aqui é a questão da própria infra-estrutura brasileira de telecomunicações. Enquanto os EUA já falam em desligar a rede 3G, o Brasil ainda está majoritariamente na rede 2G”, constata o engenheiro.

Próximos Anos: Tendências para o mercado brasileiro de gestão de frotas

Perguntamos o que os especialistas elencariam como tendências para os próximos anos na gestão de frotas. Eles selecionaram quatro pontos principais:

  1. Política de gestão de frotas: definição das diretrizes e parâmetros de conduta para os colaboradores da área. As políticas norteiam comportamentos, bonificam bons funcionários e prevêem penalizações quando necessário.
  2. Profissionalização da equipe e da área logística: surgimento de cursos; certificações e competências para o exercício da área. Os profissionais devem estar atentos às novas tecnologias, processos de gestão mais eficientes e acesso à informações de qualidade.
  3. Avanços tecnológicos: tanto do ponto de vista dos hardwares como dos próprios provedores de software. As empresas de gestão de frotas vão competir por trazer cada vez mais valor ao gestor da frota, fornecendo informações mais relevantes para as tomadas de decisão.
  4. Mobilidade urbana mais inteligente: maior preocupação com mobilidade e bem-estar social: redução de poluição; diminuição de trânsito; ações colaborativas e etc.

Importante lembrar que para aumentar a eficiência da gestão de frotas no Brasil é preciso encarar a atividade como estratégica, pois as tomadas de decisão do gestor são fundamentais para que os custos sejam controlados, a produtividade seja alta e o nível de serviço seja aperfeiçoado. Os pontos citados como tendências pelos especialistas sintetizam a importância da qualidade da informação para que seja possível a otimização de processos e a implantação de melhores práticas na operação logística capazes de tornar as empresas mais competitivas em seus mercados.

_______________________________________________

A Cobli é uma empresa especializada em gestão de frotas que oferece um sistema capaz de rastrear os veículos, planejar rotas otimizadas, acompanhar o modo de condução dos motoristas e fazer a gestão de combustível. Com mais de um bilhão de quilômetros monitorados e presente em todos os estados brasileiros, a Cobli consegue gerar uma economia média de 300 reais por mês, por carro, além de ajudar o gestor de frotas a tomar as melhores decisões.

Conheça a Cobli e saiba mais sobre como nossos nerds podem te ajudar!

www.cobli.co
euquero@cobli.co
(11) 4933-7776

_______________________________________________________

Summary
Brasil vs EUA: Principais tendências em gestão de frotas
Article Name
Brasil vs EUA: Principais tendências em gestão de frotas
Description
As práticas logísticas, em especial, às práticas de gestão de frotas variam de país para país de acordo com as especificidades locais. Neste artigo você entenderá as principais tendências do Brasil e dos EUA.
Author
Publisher Name
Cobli

Leia também:


Compartilhe esse conteúdo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *