2 maneiras de calcular a depreciação da frota

depreciacaoveiculo - 2 maneiras de calcular a depreciação da frota

A gente já escreveu por aqui sobre a importância da gestão de qualidade na manutenção da frota. É acompanhando com cuidado as necessidades de revisão e manutenção dos carros que os gestores podem evitar uma porção de gastos indesejados e ainda possíveis atrasos nas operações.

Dentro desse assunto, há um outro tema bastante importante: a depreciação da frota. Este é um dos controles mais esquecidos pelos donos de veículos, uma vez que só é possível sentir seus impactos no longo prazo.

Empresas que utilizam veículos leves ou pesados em suas atividades, como transportadoras, distribuidoras e prestadoras de serviço que precisam se deslocar até o cliente, acabam dependendo do funcionamento perfeito dos carros para que sua operação funcione com eficiência. De um jeito simples, o que a gente quer dizer é que nessas companhias, os veículos são ferramentas de trabalho, ou seja, indispensáveis para o negócio.

Leia também:
Cinco tecnologias que prometem mudar a mobilidade

E você sabe: é normal essas ferramentas sofrerem desgastes ao longo do tempo. Por esse motivo, independentemente de marca ou modelo, os equipamentos precisam de manutenções regulares para que possam continuar funcionando corretamente.

Com o passar dos anos, essas manutenções tendem a ficar mais frequentes por conta do desgaste acentuado do veículo,
gerando mais despesas.

Ignorar esse tipo de gasto pode fazer com que o empresário trabalhe acreditando lucrar, quando, na verdade, pode vir a ter surpresas desagradáveis e sérios prejuízos ao longo do tempo. Para evitar que isso aconteça, o preço que uma empresa cobra por um produto ou serviço deve conter a soma proporcional de todos os gastos da organização mais a parcela de lucro. Deixar de somar algumas despesas na formação do preço pode significar perdas que, provavelmente, só serão identificadas quando for tarde demais.

Para que a depreciação de veículos não se torne um problema ainda maior para a sua empresa, confira duas maneiras de a calculá-la de forma correta!

1. O cálculo contábil

depreciacao frota 1 1024x440 - 2 maneiras de calcular a depreciação da frotaExistem duas formas básicas de calcular a depreciação de veículos: a contábil e a gerencial. É importante conhecê-las para que você defina qual será o melhor modelo para a situação

O cálculo contábil é feito com base nas normas contábeis e nas regras definidas pela Receita Federal. Caso tenha um contador que realize a escrituração da sua empresa, provavelmente ele já faz esse calculo para você, para fins de tributação.

Nessa maneira de calcular, a Receita Federal já estabeleceu quanto os seus veículos depreciarão a cada ano, por quantos anos e quanto terá de valor residual. Os dados são os seguintes:

  • taxa de depreciação de veículos de carga: 20% ao ano;
  • prazo de depreciação de veículos de carga: 5 anos;
  • valor residual: 20%.

Para entender como funciona, nada melhor do que um exemplo. Suponha que em janeiro de 2011 a sua empresa adquiriu um Hyundai HR 2.5 Diesel zero km que, na época, valia R$ 55.100,00.

De acordo com as regras da Receita Federal, esse veículo terá uma depreciação de 80% do seu valor em cinco anos, uma vez que o seu valor residual será de 20%. Assim, haverá uma depreciação de R$ 44.080,00 nesse prazo, sendo 20% a cada ano, ou R$ 8.816,00.

Você também pode se interessar por:
Esses são os 5 principais vícios ao volante

Por mês, o valor de depreciação será de R$ 734,67 e o valor residual após os cinco anos será de R$ 11.020,00.

Você deve estar pensando: mas um Hyundai HR com cinco anos de uso vale muito mais do que R$ 11.020,00! Esse cálculo deve estar errado.

De certo modo, você tem razão em pensar assim, afinal, o veículo realmente possui um valor de mercado bem maior do que isso. Entretanto, o cálculo contábil está certo. O que você precisa entender é que, na prática, o valor calculado mais importante não é o residual, mas, sim, a depreciação mensal que, nesse exemplo, foi de R$ 734,67.

Este é o valor considerado ideal a ser reservado pela empresa que possui esse veículo e, assim, fazer uso dessa reserva em manutenções e depois para trocar por um novo, após certo período de tempo.

Pode parecer muito dinheiro, porém, considere que, além do veículo adquirido depreciar, o novo sobe de valor por conta da inflação. Hoje, um Hyundai HR zero km custa R$ 72.925,00, de acordo com a FIPE, não mais R$ 55.100,00 como em 2011.

Esse cálculo é muito usado por grandes empresas, mas, caso tenha achado o valor fora da sua realidade, talvez o cálculo gerencial seja a opção mais interessante para o seu negócio.

2. O cálculo gerencial

depreciacao carro 1 1024x440 - 2 maneiras de calcular a depreciação da frotaO cálculo gerencial é mais fácil de fazer e de ser colocado em prática. Para fazer as contas, você vai precisar ter as seguintes informações:

  • valor pago pelo veículo;
  • prazo que deseja utilizá-lo;
  • valor a que o veículo será vendido.

O prazo que você deseja usar o veículo e o valor pago por ele são informações fáceis de conseguir – você, provavelmente, consegue estimá-las de cabeça. Para conseguir o valor de venda, precisará fazer uma estimativa. Uma boa sugestão para isso é usar a tabela FIPE.

Voltando ao exemplo:

Sua empresa acabou de comprar um Hyundai HR Diesel, só que ano 2015. O valor pago foi o mesmo estimado pela tabela FIPE: R$ 57.522,00. Imagine que o prazo que você quer ficar com o veículo é de 3 anos.

Com esses dados, agora falta saber por quanto, aproximadamente, você venderá esse veículo. Para isso, consulte a tabela FIPE para saber quanto vale hoje um veículo igual, porém, três anos mais velho do que o seu.

De modo geral, um HR ano 2012, custa R$ 47.242,00. Sendo assim, é provável que o seu HR 2015 valerá daqui a três anos o que um 2012 vale hoje.

Agora você tem todos os dados que precisa para calcular a depreciação pelo método gerencial:

  • valor de compra: R$ 57.522,00
  • valor de venda: R$ 47.242,00
  • prazo de uso: três anos (ou 36 meses).

O cálculo base é o valor de compra menos o valor de venda. Depois, é só dividir o resultado pela quantidade de meses a serem utilizados. No exemplo, os valores seriam assim:

  • 57.522,00 – 47.242,00 = 10.280,00
  • 10.280,00 / 36 = 285,56

Portanto, a depreciação total desse veículo nos três anos será um valor em torno de R$ 10280,00 (e a mensal R$ 285,56, aproximadamente).

Esse valor deve ser considerado por você como um custo da sua empresa e reservado todo mês para a futura troca do veículo.

 

Não deixe de conferir também:
Controle de pneus: entenda o índice treadwear
Como fazer o controle da jornada dos motoristas

Manutenção de Frotas

 


 

logo cobli icone 20 - 2 maneiras de calcular a depreciação da frota

Existimos para libertar a logística através da tecnologia, resolvendo questões reais e humanas. Somos uma startup que através de IoT conecta veículos à internet, combinando excelência em engenharia e ciência de dados.

Cobli

euquero@cobli.co || (11) 4810-2200

Este conteúdo foi útil?
Conte para nós se o conteúdo foi útil. Assim, podemos torná-lo cada vez melhor para você!
Sim0
Não0
Compartilhe esse conteúdo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *